[Resenha] Insurgente


"Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama - e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor."





Antes de começar, devo avisar que esse é o segundo livro da série Divergente, portanto haverá SPOILERS do primeiro livro. Caso não tenha lido a resenha dele, clique aqui.

Insurgente é o segundo livro da trilogia Divergente de Veronica Roth. E dado ao final do primeiro livro, o começo deste já é recheado de ação. Aliás, é justo eu dizer que o livro todo tem muito mais ação e luta do que o primeiro livro. Ele é agitado do começo ao fim, mesmo.

Depois de ver as facções desmoronando graças a Erudição, Tris se sente perdida. Mas não é somente isso. Ela também viu ambos os pais morrerem e acabou por matar um de seus amigos, Will. Tris está transtornada, em choque com tudo o que passou, e um pouco perdida, sem saber que rumo tomar ao certo.

Em Insurgente nós conhecemos um pouco mais sobre as outras facções, além da Audácia e Abnegação que já havíamos visto no primeiro livro. Tris está a caminho da facção da Amizade, junto com seu irmão, Caleb, seu namorado Tobias, e o pai dele, Marcus.

Achei interessante saber um pouco mais sobre a facção da Amizade, assim como a Franqueza também. São ambas muito interessantes, cada uma bem diferente da outra. Mas tudo em Insurgente está ameaçado pela Erudição e pela temida Jeanine Matthews que quer a todo custo caçar os divergentes, em especial Tris.

"Ambos travamos uma guerra dentro de nós. Às vezes, isso nos mantém vivo. Outras vezes, ameaça nos destruir."

Honestamente, Tris é minha personagem literária preferida, ela realmente me ganhou nesses livros. Aqui em Insurgente, ela está bastante abalada com todos os acontecimentos, e deixa isso bem claro quando em uma situação de ataque, se mostra incapaz até mesmo de levantar uma arma, pois ao fazer isso se lembra de ter matado seu amigo Will. O choque da morte dele, a culpa extremamente desenfreada, torna nossa protagonista um tanto quanto autodestrutiva. Não é bem aquela personalidade altruísta dela falando dessa vez quando vai a frente de todos para salvá-los ou algo do tipo, é seu lado autodestrutivo falando. O remorso por ter matado uma pessoa querida é demais para ela naquele momento, que simplesmente não pensa ao tomar atitudes praticamente suicidas.

A verdade é que Tris não é um personagem perfeito. Ela comete erros, muitos até. Mas tenta aprender com eles. Ela é cheia de incertezas sobre a vida, sobre quem ela é e onde realmente pertence. Ela está perdida, o que é completamente normal, visto a situação em que se encontrava e pelo que já tinha passado.

Aqui muitas vezes temos Tobias para ajudar Tris a superar seus problemas. Mas não é sempre que ele está disposto a isso. Não sei, preciso dizer que fiquei um tanto decepcionada com ele neste livro. Eu gostava do Tobias de Divergente, aquele cara misterioso, sexy e que achávamos invencível... mas aqui ele se perde um pouco. Tem alguns atos dele que não concordei e confesso que até me deu raiva. Ao invés de apoiar Tris algumas vezes, agia como se a mesma fosse uma criança, ou pior, sentia a necessidade de protegê-la. Tris pode ser pequena e estar em choque com tudo o que passou, mas sem dúvida ela não precisa de alguém para protegê-la do mundo que está desmoronando a sua volta. O que ela precisava mesmo era de alguém ao lado dela, para apoiá-la e ajuda-la a superar seus problemas interiores, ajuda-la a não se sentir tão culpada e autodestrutiva como estava.

Amo a Tris, a Divergente, que toma decisões independentes de lealdade a facções, que não é o estereótipo de uma facção. Mas a Tris que está fazendo de tudo para destruir a si mesma… não consigo amá-la.

Sei que muitas pessoas gostam do Tobias, e não estou dizendo que o odeio nem nada do tipo. Mas acho que faltou um pouco de compreensão da parte dele para com nossa protagonista. Me decepcionou um pouco suas atitudes no decorrer da história, mas pelo menos no final aparentemente ele se deu conta de como estava agindo e fez a coisa certa.

Na primeira resenha eu tinha comentado sobre o Caleb, esperando ver mais a participação dele, esperando saber mais dele. Bem, aqui sabemos um pouco mais sobre o personagem. Me pegou de surpresa em certos momentos, mas ainda acho que ele esconde mais algumas coisas. Ele ainda é um personagem misterioso, apesar de tudo. E espero conhece-lo ainda melhor no próximo livro, pois aqui só me deixou surpresa e ainda mais curiosa com ele devido a algumas atitudes que o personagem toma.

“Descobri que as pessoas são compostas de camadas e mais camadas de segredos. Você nunca as conhecerá de verdade, mas às vezes decide confiar nelas.”

Agora, falando sobre o final... uma amiga minha descreveu a seguinte situação que se assemelha com o que você sente no final deste livro: parece que você está de pé, olhando para baixo, onde tem um penhasco enorme. Você se sente sem chão, e no fundo vê que a história na verdade só está começando agora. Tudo o que passou não foi nada perante o que pode vir, que é simplesmente enorme.

O final me pegou de surpresa, me fez ficar louca e querer o próximo livro o mais rápido o possível. É enlouquecedor e me faz ficar admirada com tamanha criatividade que a Veronica Roth possui.


Amei!

4 comentários:

  1. Oi, Gabriela!
    Ainda não li nenhum livro dessa série, mas todo mundo elogia muito então fico muito curiosa. Quero ler em breve. Acho as capas muito bonitas! :)

    Beijos,

    Rafa {Fascinada por Histórias}

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafa, a história é linda! Se você curte distopias e personagens bem badass (haha) vai amar!

      Obrigada pelo comentário :D
      Beijos.

      Excluir
  2. Olá Gabriela!
    Eu li mês passado esse livro e me apaixonei demais *-*
    É simplesmente a minha distopia favorita <3
    Estou com o último aqui para ler já, mas estou com medo do final ):
    Ótima resenha!
    Beijos,
    Ana M.
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi adorei sua resenha...mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...Há a capa do livro é linda, ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem..busca.livrariasaraiva.com.br/saraiva/Reverso
    www.buqui.com.br/ebook/reverso-604408.html

    ResponderExcluir

Comente de forma consciente :D